fbpx

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), um hábito simples como usar álcool em gel diariamente em vários momentos do dia previne, além do coronavírus, enfermidades como H1N1, diarréia, viroses respiratórias e gripes convencionais. Maçanetas, moedas, telefones e barras de apoio de transportes públicos são alguns dos exemplos de objetos compartilhados que podem conter vírus e facilitam transmissões de doenças. 

Sempre fomos ensinados sobre a importância da higienização das mãos e os benefícios desse hábito. Mas nem sempre é possível lavar as mãos, nesse momento que o álcool em gel se mostra eficaz. Ele faz o papel momentâneo de limpar suas mãos quando não é possível lavá-las. Ou seja, álcool em gel não substitui o ato de lavar as mãos, é apenas uma solução prática para essa necessidade. 

As versões com solução em álcool 70% são projetadas para eliminar 99,9% dos germes encontrados nas mãos. O uso do álcool em gel deveria ser incluído como hábito higiênico diário por ser de extrema importância, assim como tomar banho, escovar os dentes e lavar as mãos. 

Em tempos de epidemia e pandemia esse produto sempre entra em destaque, foi assim na pandemia do H1N1 e está sendo assim na pandemia de COVID-19. Mas não são apenas em momentos extremos que devemos lembrar da importância do uso do álcool em gel.

Por esses motivos enfatizamos a necessidade do uso do álcool em gel. Mesmo após o fim dessa pandemia, adote esse hábito e viva com mais segurança.