fbpx

Máscaras de tecido

  1. Recomendadas para ambientes sem aglomeração, com a possibilidade de distanciamento e bem arejados.
  2. Deve ter três camadas de três tecidos diferentes para que a filtração seja efetiva.
  3. Trocar a cada 2 ou 3 horas, caso esteja úmida troque antes.

Máscaras de tecido antiviral

  1. Só é eficiente se a máscara for usada corretamente e se possuir as outras características básicas.
  2. A característica da barreira física é a mais importante.

Máscaras de plástico ou materiais firmes

Não podem ser consideradas máscaras que protegem contra o Covid-19. Elas não filtram e permitem a circulação de ar, apenas servem para bloquear gotículas de saliva projetadas em direção da área recoberta.

Máscaras cirúrgicas

  1. Podem ter 90% de proteção, principalmente aliadas ao distanciamento físico.
  2. Recomendada para ambientes onde o distanciamento de pelo menos 1 metro e meio não possa ser mantido.
  3. Não devem ser reutilizadas.

Máscaras PFF2 ou N95

  1. Podem ter 99% de proteção se bem aderidas ao rosto e aliadas ao distanciamento físico.
  2. Recomendadas para pessoas em ambientes que podem ter pessoas contaminadas; para trabalhadores que têm contato com diversas pessoas; para pessoas de grupo de risco.
  3. Podem ser reutilizadas caso não estejam sujas e continuarem aderindo bem ao rosto. Após o uso, deixe a máscara em local seco e arejado por 72 horas para inativar o vírus.

Duas máscaras

  1. Melhor combinação: máscara cirúrgica + máscara de tecido por cima.
  2. O objetivo é melhorar o ajuste, pois quanto melhor a máscara se ajusta ao rosto, mais ela protege.
  3. As máscaras N95 ou PFF2 não precisam ser combinadas com outras máscaras.

Esses são dados expostos pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e servem para nos ajudar na escolha do tipo de máscara que vamos usar em cada situação. Mas é sempre importante lembrar, independente do tipo, sempre tenha em seu rosto essa proteção.